CUIABÁ

AGRONEGÓCIO

TRIGO/CEPEA: Recuo do dólar pressiona valores no Brasil

Publicados

em


Cepea, 05/04/2022 – Os preços do trigo continuam em queda no mercado interno. Segundo informações do Cepea, a pressão vem da contínua desvalorização do dólar, que pressiona a paridade de importação. Entre 28 de março e 4 de abril, o dólar caiu 3,3% frente ao Real, fechando a R$ 4,612 na segunda-feira, 4. Produtores, inclusive, ficaram mais afastados do mercado spot nacional, passando a focar no cultivo da nova temporada e, em alguns casos, na comercialização de produtos da safra de verão, cenário que reduziu a liquidez. DERIVADOS – Na semana passada, as cotações das farinhas seguiram em alta, devido ao elevado custo com a matéria-prima e ao fato de alguns moinhos já terem sinalizado previsão de novos reajustes positivos em abril. No caso dos farelos, o repasse dos custos e a realização de negócios estão mais difíceis, pois há disponibilidade de substitutos com menor preço para alimentação animal. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Farsul comemora 95 anos
Propaganda

AGRONEGÓCIO

FRANGO/CEPEA: Preço da carne cai e eleva competitividade frente à suína

Publicados

em

Cepea, 1º/7/2022 – Os preços da carne de frango seguiram enfraquecidos em junho, ao passo que os valores da suína subiram. Diante disso, a competitividade da proteína avícola frente à concorrente cresceu pelo segundo mês consecutivo. Em junho (até o dia 29), o frango inteiro resfriado foi comercializado no atacado da Grande São Paulo à média de R$ 7,44/kg, queda de 1,1% sobre a de maio. Segundo colaboradores do Cepea, apesar das vendas externas aquecidas, o baixo consumo interno pressionou as cotações da maioria dos produtos da avicultura de corte. Já para a carne suína, o período de inverno e festas tradicionais têm aquecido as vendas, ao passo que a oferta de animais em peso ideal de abate está menor, contexto que vem resultando em elevação dos preços. Em junho, a carcaça especial suína foi cotada, em média, a R$ 9,35/kg, avanço mensal de 1,1%. Diante disso, a carcaça suína esteve 1,91 Real/kg mais cara que o frango inteiro na parcial de junho, diferença 10,8% maior que a observada em maio, o que reduziu a competitividade da carne de frango frente à substituta. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Leia Também:  OVOS/CEPEA: Após quase um mês de estabilidade, preços registram alta

Fonte: CEPEA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

PICANTES

MAIS LIDAS DA SEMANA