CUIABÁ

AGRONEGÓCIO

FRANGO/CEPEA: Com vendas à China em queda, outros destinos garantem bom desempenho

Publicados

em

Cepea, 13/5/2022 – As exportações brasileiras de carne de frango à China estão enfraquecidas, mas os envios a países árabes e europeus vêm crescendo com força. Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário tem garantido que o volume total de proteína embarcado pelo Brasil se mantenha elevado e próximo da quantidade recorde. De acordo com dados da Secex, 418,2 mil toneladas de carne foram exportadas pelo Brasil em abril, leve recuo de 0,1% frente a março, mas 5,7% acima do volume de abril/21. Além disso, a quantidade esteve próxima da recorde, de 463,9 mil toneladas, registrada em julho de 2018. Pesquisadores do Cepea ressaltam que a demanda internacional aquecida pela carne de frango brasileira tem resultado em alta no preço médio da proteína. Assim, a receita adquirida por exportadores nacionais foi recorde em abril. Vale lembrar que, além da guerra na Ucrânia, importante fornecedor mundial da proteína, crises recentes de Influenza Aviária têm afetado o fornecimento internacional da carne avícola. Segundo a Secex, em abril, a receita com os embarques foi de US$ 821,1 milhões, montante recorde da série histórica, sendo 6,5% acima do observado em março e 34,6% maior que o de abril/21. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Leia Também:  MILHO/CEPEA: Com agentes focados nas safras brasileira e americana, liquidez interna diminui
Fonte: CEPEA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

FRANGO/CEPEA: Preço da carne cai e eleva competitividade frente à suína

Publicados

em

Cepea, 1º/7/2022 – Os preços da carne de frango seguiram enfraquecidos em junho, ao passo que os valores da suína subiram. Diante disso, a competitividade da proteína avícola frente à concorrente cresceu pelo segundo mês consecutivo. Em junho (até o dia 29), o frango inteiro resfriado foi comercializado no atacado da Grande São Paulo à média de R$ 7,44/kg, queda de 1,1% sobre a de maio. Segundo colaboradores do Cepea, apesar das vendas externas aquecidas, o baixo consumo interno pressionou as cotações da maioria dos produtos da avicultura de corte. Já para a carne suína, o período de inverno e festas tradicionais têm aquecido as vendas, ao passo que a oferta de animais em peso ideal de abate está menor, contexto que vem resultando em elevação dos preços. Em junho, a carcaça especial suína foi cotada, em média, a R$ 9,35/kg, avanço mensal de 1,1%. Diante disso, a carcaça suína esteve 1,91 Real/kg mais cara que o frango inteiro na parcial de junho, diferença 10,8% maior que a observada em maio, o que reduziu a competitividade da carne de frango frente à substituta. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Leia Também:  Cana-de-açúcar: previsão de aumento na safra 2022/2023

Fonte: CEPEA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

PICANTES

MAIS LIDAS DA SEMANA