CUIABÁ

TECNOLOGIA

Por que Elon Musk se preocupa tanto com bots no Twitter?

Publicados

em

source
Elon Musk suspende compra do Twitter
Reprodução/Instagram – 26.04.2022

Elon Musk suspende compra do Twitter

Elon Musk anunciou nesta sexta-feira (13) que  sua oferta de US$ 44 bilhões para comprar o Twitter está temporariamente suspensa por conta da falta de detalhes sobre o número de contas falsas ou robôs na rede social.

De acordo com analistas ouvidos pela Bloomberg, o argumento do bilionário pode ser um blefe para reduzir o valor da transação. Mas, afinal, por que Musk se preocuparia tanto com a presença de bots no Twitter? 

O que são bots e por que eles preocupam Musk?

Qualquer conta automatizada que publica sem a necessidade de um humano por trás é considerada um bot (ou robô, em português). No Twitter, bots não são proibidos, desde que obedeçam as regras da plataforma – existe até um selo para perfis automatizados.

Existem perfis que publicam automaticamente a previsão do tempo ou dicas de autocuidado, por exemplo. Esses são permitidos na plataforma. O que o Twitter não tolera em seus termos de uso são bot usados para fins maliciosos, como golpes digitais, disseminação de desinformação ou manipulação política. Esses são conhecidos como bots de spam.

Leia Também:  Compra do Twitter por Elon Musk não deve afetar eleições, avalia TSE

É justamente com esse segundo tipo de Musk se preocupa, sobretudo com aqueles que aplicam golpes relacionados a criptomoedas, mercado do qual ele é entusiasta. Quando teve sua oferta de compra do Twitter aceita, Musk prometeu que “derrotaria os bots de spam”.

O Twitter possui formas de derrubar esses bots, mas elas não são completamente eficazes. Recentemente, a rede social divulgou um relatório que estima que contas falsas e de spam representam menos de 5% de seus usuários ativos diários.

Atualmente, a rede social tem 229 milhões de usuários ativos diários, o que significa que há até 11,4 milhões de bots maliciosos circulando na plataforma.

Os robôs, além de prejudicarem o debate público e colocarem a segurança de usuários em risco, podem afastar pessoas da rede social e colocar em risco a reputação da plataforma. Foi justamente este recente levantamento que Musk usou de argumento para suspender a negociação. “O acordo do Twitter está suspenso temporariamente por conta de detalhes pendentes que suportam o cálculo de que contas falsas/spam representam, de fato, menos de 5% dos usuários”, afirmou o empresário.

Leia Também:  PS Store dá desconto em Resident Evil, Assassin’s Creed e mais

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Android 13 vai limitar alarmes para aumentar vida útil da bateria

Publicados

em

source
Android 13 vai limitar API de alarmes para aumentar vida útil da bateria
Murilo Tunholi

Android 13 vai limitar API de alarmes para aumentar vida útil da bateria

O Android 13 terá algumas modificações que não foram apresentadas durante a Google I/O deste ano. Uma dessas mudanças será a restrição da API de alarmes para economizar bateria no dia a dia. Apesar de positiva para usuários, a limitação poderá prejudicar o funcionamento de aplicativos que não forem adaptados para o novo sistema operacional.

A API de alarmes do Android é usada não só pelo aplicativo Relógio para acordar pessoas pela manhã, como também para executar certas tarefas em horários específicos . O conjunto de instruções pode ser encontrado, na maioria das vezes, em softwares que funcionam em segundo plano no celular e precisam ser ativados ao longo do dia.

Há, porém, um problema: quando um aplicativo entra em atividade por meio da API de alarmes, o celular sai do modo Soneca — um dos principais recursos de economia de energia do Android. Durante o modo Soneca, “o acesso de apps a certos recursos que consomem muita bateria é adiado até as janelas de manutenção”, segundo o Google.

Leia Também:  Twitter adota "pílula de veneno" para se proteger de Elon Musk

Para aumentar a vida útil da bateria dos celulares, o Android 13 vai restringir o uso da API de alarmes por aplicativos. De acordo com Mishaal Rahman , editor técnico do blog Esper.io , o novo sistema operacional terá barreiras adicionais na hora de programar horários exatos para execução de tarefas.

Só apps específicos poderão usar API de alarmes

Hoje, no Android 12 , qualquer software é capaz de utilizar a API de alarmes de forma nativa. Os usuários, por sua vez, podem revogar essa permissão para economizar bateria no dia a dia. Basta acessar as configurações do celular, entrar no menu de apps, encontrar a seção de “acesso especial” e proibir o acesso de apps aos alarmes e lembretes.

Quando o Android 13 chegar, os aplicativos serão proibidos desde a instalação de usar a API de alarmes. Os desenvolvedores que quiserem burlar isso terão que remover funções de seus programas ou solicitar aos usuários que criem exceções nas restrições de bateria do sistema. Essa última abordagem, entretanto, é proibida pelas diretrizes da Google Play.

Leia Também:  Call of Duty vendeu tão mal que não deve ganhar nova versão em 2023

Ainda será possível utilizar a API de alarmes, porém somente em aplicativos específicos que tenham funções de relógio ou calendário. Além disso, até mesmo apps de relógio ou calendário ainda deverão atualizar seus códigos com os novos comandos do Android 13 para não serem removidos da loja do Google.

Com informações: Esper.io .

Android 13 vai limitar API de alarmes para aumentar vida útil da bateria

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

PICANTES

MAIS LIDAS DA SEMANA