CUIABÁ

ECONOMIA

Ministério reduz para US$ 81,5 bilhões projeção de superávit comercial

Publicados

em

O aumento de gastos com fertilizantes e combustíveis fez o Ministério da Economia revisar para baixo a projeção de superávit comercial (exportações menos importações) em 2022. A estimativa caiu de US$ 111,6 bilhões previstos em abril para US$ 81,5 bilhões, redução de 27%. A cada três meses, o governo divulga uma nova previsão.

Apesar da queda, esse deve ser o melhor resultado anual da balança comercial desde o início da série histórica, em 1989. O melhor superávit comercial registrado até hoje foi no ano passado, quando o país exportou US$ 61,407 bilhões a mais do que importou, beneficiado pela valorização das commodities (bens primários com cotação internacional).

Segundo o subsecretário de Inteligência e Estatísticas do Comércio Exterior do Ministério da Economia, Herlon Brandão, a diminuição da estimativa está relacionada aos altos custos de importações dos combustíveis e fertilizantes. “A revisão é consequência de uma despesa maior [com importações] provocada pelos preços crescentes, em razão do conflito entre Rússia e Ucrânia e de todas as disrupções que observamos nas cadeias de suprimentos”, explicou.

Leia Também:  Conab estima safra de grãos de 265,7 milhões de toneladas

Tanto as estimativas de importações e de exportações subiram. A projeção para as compras do exterior subiu de US$ 237,2 bilhões previstos em abril para US$ 268 bilhões agora. Do lado das exportações, a previsão teve um leve ajuste, subindo de US$ 348,8 bilhões para US$ 349,4 bilhões. Os valores são recordes para esses parâmetros.

Impacto da guerra

A guerra entre Rússia e Ucrânia impactou a balança comercial em junho. Por causa do aumento de gastos de itens que encareceram com o conflito, o superávit no mês passado totalizou US$ 8,814 bilhões, com recuo de 15,4% em relação a junho de 2021.

Os preços internacionais dos adubos e dos fertilizantes subiu 144,7% em junho, na comparação com o mesmo mês do ano passado. O preço médio dos combustíveis comprados do exterior aumentou 104,4% na mesma comparação. No trigo, outro produto que o Brasil importa em grande quantidade, a alta chega a 44,6%.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Economia

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Tesouro pagou em julho R$ 400,56 milhões em dívidas de estados

Publicados

em

A União pagou, em julho, R$ 400,56 milhões em dívidas atrasadas de estados, segundo o Relatório de Garantias Honradas pela União em Operações de Crédito e Recuperação de Contragarantias, divulgado hoje (8) pelo Tesouro Nacional. Do total, R$ 162,95 milhões são débitos não quitados pelos estados de Minas Gerais; R$ 106,67 milhões do Rio de Janeiro; R$ 77,46 milhões de Goiás, e R$ 53,47 milhões do Rio Grande do Sul.

Este ano, já são R$ 5,02 bilhões de dívidas de entes subnacionais honradas pela União. Os que tiveram os maiores valores honrados foram os estados de Minas Gerais (R$ 1,97 bilhão), Rio de Janeiro (R$ 1,9 bilhão) e Goiás (R$ 723,04 milhões). Rio Grande do Sul (R$ 399,23 milhões) e Rio Grande do Norte (R$ 15,50 milhões) também aparecem na lista de entes que tiveram as garantias honradas em 2022.

Desde 2016, a União realizou o pagamento de R$ 46,93 bilhões em dívidas garantidas. Além do relatório mensal, o Tesouro Nacional também disponibiliza os dados no Painel de Garantias Honradas.

Leia Também:  Compras públicas podem ser realizadas 100% por aplicativo

As garantias representam os ativos oferecidos pela União – representada pelo Tesouro Nacional – para cobrir eventuais calotes em empréstimos e financiamentos dos estados, municípios e outras entidades com bancos nacionais ou instituições estrangeiras, como o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Como garantidor das operações, ele é comunicado pelos credores de que não houve a quitação de determinada parcela do contrato.

Caso o ente não cumpra suas obrigações no prazo estipulado, o Tesouro compensa os calotes, mas desconta o valor coberto com bloqueios de repasses federais ordinários, além de impedir novos financiamentos. Há casos, entretanto, de bloqueio na execução das contragarantias, a partir da adoção de regime de recuperação fiscal ou por meio de decisões judiciais que suspenderam a execução.

Em 2022, a União recuperou R$ 29,35 milhões em contragarantias. Todo o valor é referente a dívidas pagas do estado do Rio Grande do Norte.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Economia

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

PICANTES

MAIS LIDAS DA SEMANA