CUIABÁ

CUIABÁ

Dezenas de participantes coloriram de branco o centro histórico de Cuiabá neste sábado, com a tradicional lavagem das escadarias do Rosario

Publicados

em


VICENTE AQUINO

Clique para ampliar

A 5ª edição da Lavagem das Escadarias da Igreja do Rosário e Capela de São Benedito reuniu dezenas de pessoas na manhã deste sábado (2) no centro histórico de Cuiabá. A celebração ecumênica realizada no largo do Rosário simboliza a paz e a fraternidade. O evento foi organizado pela Associação Lavagem das Escadarias Rosário e São Benedito e contou com o apoio da Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer.

A secretária Municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Carlina Maria Rabelo Leite Jacob e o secretário adjunto de Cultura, Justino Astrevo acompanharam a programação que começou às 5 horas da manhã com abertura, um café da manhã no Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (Misc), seguido da entrega das quartinhas de barro, vassouras e adornos e, o deslocamento para a Igreja do Rosário e Capela de São Benedito onde aconteceu a concentração antes da lavagem das escadarias.

“Buscando uma gestão humanizada e de inclusão, a gestão Emanuel Pinheiro estamos aqui hoje celebrando as três religiões a católicas, as de matriz africana e o islamismo. A lavagem das escadarias do Rosário simboliza mais do que um simples ato de fé, ela simboliza a união de todos os povos, a cultura da paz, pela liberdade, pela valorização do ser humano. Essa socialização é mais do que necessária nesse mundo que estamos vivendo, esta é uma bandeira contra a intolerância e o apoio da gestão foi decisivo para que tudo isso acontecesse”, disse a secretária Municipal de Cultura, Carlin

Leia Também:  Mutirão de Conciliação Fiscal 2021 encerra com mais de 34 mil acordos que resultaram em R$ 64 milhões quitados

a Jacob.

Cristóvam Luis Gonçalves da Silva, diretor do Misc e membro da comissão organizadora da lavagem das escadarias, responsável pela parte cultural do evento falou da importância da representação de várias religiões no evento.  “Isso mostra o respeito para com essa diversidade . quando trazemos a religião de matriz africana você abre um portal de possibilidade, de esperança de que todos juntos, homens e mulheres, de várias religiões poderem congregar a cultura de paz. Estamos no centro histórico de Cuiabá, isso é a preservação e a valorização da cultura afro-brasileira é a preservação da memoria de pessoas que contribuíram com a cultura de Cuiabá”, disse ele lembrando que este ano o evento tem como tema a água, para alertar a população de que precisamos preservar a vida, já que a água é fonte de vida.

Ao som de tambores, dos Xequerês e entoando cantos africanos, os participantes desceram a avenida Coronel Escolástico em direção a igreja onde foram soltas pombas em referência a paz, antes da lavagem das escadarias.

O historiador Suelme Evangelista Fernandes. também falou sobre o evento. “Essa manifestação é super importante. Ela está no coração de Cuiabá e celebra uma história de luta contra a escravidão, o racismo, e que continua até hoje. A ideia é relembrar essas lutas, relembrar o tempo em que os negros moravam no entorno da igreja e não podiam participar com seus rituais religiosos. Então essa celebração da presença do povo negro e para que possamos viver de forma pacifica e o que temos de mais belo na nossa cultura, a cultura africana”, disse o historiador.

Leia Também:  Prefeitura de Cuiabá antecipa convocação dos candidatos aprovados para o cargo de TNE, das Regionais Norte e Leste

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CUIABÁ

Escolas terão que comunicar pais ou responsáveis sobre ausência escolar injustificada do aluno

Publicados

em


Secom CMC

O vereador Dr. Luiz Fernando teve o projeto de lei sancionado pelo Poder Executivo
Com apenas duas semanas para o início do ano letivo, o Executivo Municipal sancionou a lei nº 6.735 de 14 de dezembro de 2021, que estabelece a necessidade de informação sobre a ausência de alunos de escolas públicas e privadas, durante o período escolar, revogando a lei nº 6.231 de 06 de novembro de 2017.
&nbspA matéria é de autoria do vereador Dr. Luiz Fernando (Republicanos) e foi proposta a fim de zelar junto aos pais ou responsáveis, pela frequência à escola.
De acordo com a propositura, a direção das escolas da Capital deverá entrar em contato com os pais ou responsáveis em caso de ausência escolar injustificada dos alunos nas escolas e nas salas de aula, durante o período escolar.
“Todas as unidades deverão manter atualizados os dados cadastrais dos seus alunos e familiares, dentre eles, o número de identidade, endereço, telefone e o endereço de correio eletrônico”, profere trecho do documento.
Considera-se como ausência escolar injustificada a falta de comparecimento à escola ou à aula pelo aluno, por pelo menos 3 (três) dias consecutivos ou 5 (cinco) dias no mês, sem prévia ou posterior justificativa oral ou escrita do responsável do aluno ao professor ou à direção escolar.
Ainda conforme a lei – a direção das escolas deverá ter a obrigação de comunicar ao conselho tutelar, o descumprimento dos deveres inerentes ao poder familiar e, eventualmente, a ocorrência de possível crime de abandono de intelectual, em caso de: impossibilidade de contato virtual ou presencial do responsável por mais de 15 dias pela direção e repetida ausência injustificada do aluno às aulas, após a realização de reunião convocada pela direção.
O vereador explica que está cada vez mais comum nas escolas – alunos adentrarem o estabelecimento de ensino, em seguida, saírem para as ruas. Em alguns casos, nem chegam a entrar na sala de aula.
&nbspEm relação a revogação da lei nº 6.231, Luiz Fernando explica a normativa obriga apenas que a direção escolar notifique os responsáveis sobre a injustificada ausência dos alunos na escola. No entanto, o vereador acredita que a lei deixa a desejar quanto à questão da diminuição da evasão escolar.
No ponto de vista do parlamentar, isso ocorre pelo fato de a lei não estabelecer mecanismos que assegurem a responsabilidade dos pais em zelarem pela assiduidade de seus filhos nas escolas e da própria escola e sociedade em fazerem com que os pais cumpram seus deveres legais.
“Para baixar a evasão escolar não é necessário somente notificar os familiares e responsáveis sobre a ausência dos filhos nas aulas e nas escolas, mas também acompanhar o exercício das responsabilidades legais para com seus filhos”, avaliou Luiz Fernando ao acrescentar que a adoção destas medidas irão apresentar mecanismos efetivos para coibir a evasão escolar e, portanto, diminuir o número de alunos evadindo da rede escolar.

Márcia Martins/Gabinete Vereador Dr. Luiz Fernando

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Stopa assina termo de transmissão temporária das funções de prefeito
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

PICANTES

MAIS LIDAS DA SEMANA