CUIABÁ

AGRONEGÓCIO

ARROZ/CEPEA: Com baixa liquidez, preços seguem enfraquecidos

Publicados

em


Cepea, 12/01/2022 – Neste começo de ano, a liquidez no mercado spot de arroz em casca do Rio Grande do Sul segue baixa, o que mantém enfraquecidos os preços. Entre 4 e 11 de janeiro de 2022, o Indicador ESALQ/SENAR-RS (58% de grãos inteiros e pagamento a vista) recuou 0,62%, fechando a R$ 62,10/sc de kg no dia 11. Segundo pesquisadores do Cepea, demandantes estão afastados do spot, indicando ter estoques satisfatórios para o curto prazo. Do lado de produtores/orizicultores, o cenário também é de cautela. Além de os preços estarem abaixo dos custos de produção, as condições climáticas no estado deixam agentes em alerta. De acordo com colaboradores consultados pelo Cepea, a persistente seca no Rio Grande do Sul pode comprometer a qualidade das lavouras, que já apresentaram desenvolvimento desuniforme. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  ETANOL/CEPEA: Indicadores sobem por mais uma semana
Propaganda

AGRONEGÓCIO

Primeiro curso de Classificação de Grãos é realizado pelo Senar em Marianópolis

Publicados

em


O Senar concluiu o primeiro curso de “Trabalhador em Classificação de Grãos – Soja e Milho”, iniciando a série de capacitações e treinamentos que serão realizados pela entidade ao longo no ano no Tocantins. No município de Marianópolis a turma contou com 15 alunos que já estão aptos para atuar no setor. “É um mercado em franca expansão que está gerando muitas oportunidades”, destacou o presidente do Sindicato Rural, Darci Dário.

A região do Vale do Araguaia é considerada a nova fronteira da produção agrícola do Tocantins. Muitas propriedades rurais da região foram adquiridas para o cultivo de grãos ou simplesmente trocaram as tradicionais áreas de pastagem por lavouras de soja e milho. Por conta disso, o investimento em armazenamento de grãos é cada vez maior. Empresas, como a Armazém Fortes onde foram realizadas atividades práticas do curso, estão em pleno funcionamento, mas também há muitas plantas em construção.

O aluno Moises Gomes mora no Tocantins há três anos e desde sua chegada começou a trabalhar com classificação de grãos em uma fazenda da região, mas a atividade foi aprendida no dia a dia. “Eu sentia a necessidade de fazer um curso para me capacitar e já fazia um tempo que estava atrás. Consegui identificar alguns erros que vão me ajudar no trabalho, como por exemplo, na hora de tirar as impurezas, porque usando a mão em vez da pinça pode interferir na umidade do produto”, afirmou.

Leia Também:  CAFÉ/CEPEA: Indicador do arábica tem forte oscilação

Quem também aposta neste segmento para iniciar 2022 com novos desafios é o aluno Márcio Santos, para ele é uma área importante na empresa, inclusive para evitar prejuízos. “Nosso trabalho vai ajudar o produtor a identificar quanto vai ganhar ou perder com as cargas e até mesmo se vale a pena armazenar naquelas condições”, pontuou. No curso, os alunos estudaram as técnicas de classificação de grãos (soja e milho), e também tiveram disciplinas que trataram de meio ambiente, aquisição e descarte dos agrotóxicos, saúde no trabalho, segurança e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e outras.

O curso teve duração de uma semana e foi fruto de parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Sindicato Rural e Prefeitura de Marianópolis.

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

política mt

mato grosso

policial

PICANTES

MAIS LIDAS DA SEMANA